Assinatura do Protocolo Ação Escola de 2ª Oportunidade

Foi com grande alegria que, no dia 16 de Setembro, o IAC se juntou à DGEST, à Câmara Municipal de Lisboa e à Escola Eça de Queirós para assinar o Protocolo  de implementação da primeira Escola de Segunda Oportunidade em Lisboa. Desde  que iniciou atividades o IAC tem tido a sua intervenção alinhada com as políticas públicas de educação e formação inclusivas criadas pelo Estado. Assim, surgiu naturalmente a ideia de abraçar mais este desafio. Pretendemos proporcionar a jovens a descoberto das respostas existentes uma resposta socio educativa, com o objetivo de assegurar uma intervenção adequada às suas necessidades, expetativas e interesses, de tal modo que permita o cumprimento da escolaridade, promova a autonomia e a integração social.

O currículo integrado apresenta uma estrutura organizada em 3 Componentes distintas, mas complementares entre si, a saber: Componente Pessoal, Componente Escolar e Componente de Natureza Profissional. 

A Componente Pessoal incide na formação complementar que envolve o acompanhamento psicossocial e a implementação e desenvolvimento de um programa de treino de competências pessoais e sociais, com recurso a metodologias ativas, a fim de dar voz e estimular a participação dos jovens concretiza-se através da realização de sessões temáticas, de ações de carácter lúdico-pedagógico, desportivas e de risco controlado evisa promover a sensibilização para a cidadania participativa e a defesa dos Direitos Humanos. 

A Componente Escolar inclui a criação de 2 grupos turma para frequência de Programa Integrado de Educação Formação (PIEF): uma que confere habilitação equivalente ao 1.º e 2.º ciclo e outra que confere habilitação equivalente ao 3.º ciclo.  

A Componente de Natureza Profissional visa a aquisição de competências necessárias à inserção no mercado laboral, através da promoção de experiências em contexto real de trabalho, a desenvolver em empresas ou instituições com as quais será celebrado protocolo, tanto para alunos em PIEF, como em EFA ou através da frequência de Unidades de formação de curta duração (UFCD). 

Este é, de fato, um recurso fundamental para criar percursos de vida saudáveis e mais inclusivos! 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Relacionados

Intervenção