Webinar “Gestão de Conflitos no Contexto da Mediação Escolar”

O Webinar “Gestão de Conflitos no Contexto da Mediação Escolar” contou com a presença de 26 participantes. A participação da escola com uma “voz” ativa e o papel de técnicos e docentes deu início à dinamização. O papel da escola dentro do contexto da Mediação Escolar deu, portanto, aso a uma reflexão conjunta em que se compreendeu que, nesse espaço, o aluno está integrado numa rede de interdependências complexas, em que existem situações passíveis de conflito ou disputa com os pares que lhe abrem outras oportunidades de realização e de melhoria da sua sociabilidade. As escolas não são somente um lugar para aquisição de conhecimentos, como um ambiente de aprendizagem, de competências, de relacionamento interpessoal e de convívio social. São um espaço de autonomização e de desafiar limites. Neste contexto, os jovens desenvolvem diálogos, constituem-se em grupos, aceitam as diferenças nas motivações e comportamentos entre os indivíduos e retiram satisfação em estar e vivenciar diferentes situações com os seus pares. Contudo, aparecem conflitos que parecem ser um obstáculo ao desenvolvimento destas competências e que transformam a ida para a escola como uma vivência de ansiedade e desmotivação para alguns alunos.

Passando pelas condutas disruptivas e entrando em mais detalhe na resolução de conflitos, sabe-se, à partida, que o conflito é inerente ao ser humano e que, por conseguinte, deve ser encarado não como um problema ou como autodestrutivo, mas sim como uma divergência de ideias e/ou opiniões. O conflito pode se um instrumento de mudança social uma vez que sem conflito, não há mudança, não há crescimento, não há possibilidade de aperfeiçoamento de certas estruturas e de mudança face a situações discriminatórias e injustas existentes na escola e na sociedade. Em segundo lugar, o conflito pode ser apreciado como uma oportunidade para aprender, podendo constituir uma ferramenta de ensino. Nasce, assim, a mediação escolar e o papel do mediador, uma terceira pessoa imparcial, que permite alcançar um acordo satisfatório para ambas as partes que se encontram em conflito. A mediação do conflito escolar oferece um conjunto de vantagens tais como o desenvolvimento na escola um ambiente tranquilo e produtivo; ajuda o reconhecimento e valorização dos sentimentos, valores, interesses e necessidades próprias do outro; permite que os alunos desenvolvam competências para participar na resolução dos seus próprios problemas e, simultaneamente, outras capacidades, como pensamento crítico, escuta ativa e tomada de decisões; aumenta o desenvolvimento de atitudes cooperativas na gestão do conflito; favorece a autorregulação através da procura de soluções autónomas e negociadas; reduz o número de sanções e expulsões; diminui o número de conflitos e, por conseguinte, o tempo dedicado à sua resolução e, ainda, contribui para o desenvolvimento de atitudes de interesse e respeito pelo outro e para melhorar as relações interpessoais.

Se consideramos a mediação como uma forma de gestão de conflitos na sala de aula, estamos a dar ocasião para que os alunos ganhem autonomia e se desenvolvam. Além de que a escola, ao estabelecer a mediação como mecanismo de gestão de conflitos, permite não só que os alunos encarem os conflitos e compreendam que nem sempre são negativos, como também que existe uma solução para eles.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Relacionados

Intervenção